Relatório Gamerama Workshow: Tabuleiro SESC Teresópolis 2010 (Segundo Dia)

Eis que surjo pra trovar e dar continuidade à narração da saga de aventuras na serra que pude presenciar com meu companheiro de risadas e mestre de jogos, Guilherme Xavier. Não me recordo tê-lo visto bebendo Toddynho ao longo da viagem, mas para mim apenas há um “companheiro de aventuras”.

O dia seguinte na cidade de Teresópolis foi recebido com um agradável contraste europeu. Na praça da Várzea, o forte sol da manhã iluminava a antiga igreja enquanto a temperatura passeava entre dez e quinze graus. Junto com os feirantes encasacados daquele domingo, os cabelos avermelhados e a estampa de um cogumelo verde caricato da blusa do nosso contato pernambucano reluziam. Isabel Ferreira veio da terra carioca, apesar de ser originalmente de Recife, para desempenhar alguns papéis cruciais nas nossas atividades do dia. O primeiro dos papéis sendo a participação na oficina e metade da composição do único grupo que iria desenvolver um jogo no período da tarde. O segundo, de co-pilota que iria, poucas horas antes da nossa partida da cidade serrana, descobrir a provável causa o desempenho pífio de nossa carroça motorizada.

A manhã consistiu, como de praxe, em uma exposição teórica de fatores concernentes ao desenvolvimento de um jogo. O segundo dia adota como premissa os ensinamentos e experiências do primeiro para versar sobre metodologia de projeto e apresentar diferentes possibilidades de execução. Dentre estas possibilidades estão os clássicos métodos “Agile” e “Waterfall” e pouco depois os (dois) alunos presentes iriam colocar sua massa cinzenta em ação para definir qual o melhor percurso para seu projeto.

Jogando, mas no dia anterior

Lamentavelmente o quórum foi inferior ao do dia anterior, apesar dos esforços do Serviço Social do Comércio em confirmar a efetiva participação dos vários pré-inscritos. Por outro lado, essa atuação permitiu uma nunca antes então realizada quase-aula-particular de desenvolvimento de jogos. Diante dessa oportunidade, o grupo presente elaborou, levando em conta as restrições e diretrizes, um jogo de tabuleiro quadrado sobre uma infecção generalizada em uma biblioteca repleta de obras únicas. O jogador então deveria procurar as várias estantes da biblioteca para salvar estes artefatos culturais ao tomar cuidado para não esbarrar em leitores transeuntes pelos corredores.

Tabuleiro da Biblioteca
Preparações finais

Ao final, o jogo foi finalizado, a ficha entregue e lágrimas libertas diante da sempre emocionante exibição de “The Most Powerful Person in the World” – que estamos localizando para o povo brasileiro. Ao entrarmos no carro, os momentos de emoção continuaram. Paradigmas foram confrontados e o véu da realidade foi rompido quando a verdade se fez presente. O que antes seria a primeira marcha se tornou a terceira e em um vão mecânico se fizeram presente duas novas possibilidades: a primeira e segunda marcha do, então, misterioso Clio. Logo em seguida, ficou estabelecido que nenhuma outra viagem seria tão emocionante quanto às excursões para Petrópolis e Teresópolis, pois estas contaram com um desafio adicional. Não o desafio de lidar com um automóvel problemático, mas o de subir e descer a serra a base de muita adrenalina, gasolina e uma terceira marcha como ponto de partida. Após a cerimônia de congratulação, a equipe de (agora) três viajantes engatou seus cintos de segurança e partiu em retorno ao agradável quartel general do Rio de Janeiro.

A viagem foi tranqüila, embora cansativa, pois eventuais congestionamentos diminuíam o ritmo da caminhada. Felizmente, na descida a fila indiana não mais apresentava momentos de tensão e suor frio descendo pela testa. Agora estavam todos felizes, sonolentos (exceto pelo motorista que vos escreve) e em hipnose constante diante da repetitiva (embora agradável para alguns) trilha sonora das animações do universo Matrix. Ao chegarmos no bairro da Tijuca – não confundir com Barra da Tijuca -, o cansaço assentou, mas junto com uma sensação de missão cumprida e um desejo por enfrentar futuras ladeiras, agora devidamente equipados.